Saúde ao seu Alcance


Como funciona a cicatrização?

Postado dia 11/09/2018

Aprendemos o que é cicatrização quando somos crianças. Por meio de um machucado na pele que desenvolve uma crosta que diminui até a sua recuperação. E por muitos anos esse foi todo o nosso conhecimento sobre cicatrização. A crosta é que recupera a pele. Conforme crescemos, porém, alguns fatores passam a contribuir ou retardar o processo de cicatrização de nossos tecidos. Dentre eles o fator genético, tipo de pele, tipo de ferimento ou corte, alimentação, hábitos (como fumar ou praticar esportes) e uso de medicamentos. Confira abaixo como funciona o processo de cicatrização e o que pode ser feito para aprimorá-lo:

O que é cicatrização?

A cicatrização é um processo de recuperação natural dos tecidos lesionados. O corpo age em defesa da área lesionada, promovendo o aumento de fibras colágenas que migram para a área afetada com a finalidade de recuperá-la. O tecido conjuntivo fibroso pode se somar ou substituir os tecidos do local ferido. O resultado desse processo é o que conhecemos por cicatriz.

Existem quatro tipos de cicatriz:

- a normotrófica, em que a pele recupera 100% do aspecto anterior ao ferimento, comum a escoriações superficiais;

- a atrófica, que ocorre quando há perda de estruturas como gordura ou músculo. Essa cicatriz é comum em casos como acne e pós-acidentes;

- a hipertrófica, que acontece quando a produção de colágeno ocorre de forma desorganizada pelo organismo, fazendo com que a cicatriz tenha um pouco de relevo em relação à pele;

- a queloide, é o resultado de uma produção exagerada de colágeno da pele, que faz com que a cicatriz não pare de crescer e fique maior que a área originalmente ferida.

Quais são as fases do processo de cicatrização?

O processo de cicatrização passa por quatro fases:

- Limpeza: quando os tecidos liberam mediadores químicos que, ao contato com o ar, formam uma crosta que é responsável por estancar sangramentos e proteger a pele de agentes externos;

- Retração: a ação dos miofibroblastos faz com que o ferimento diminua. É nessa fase que o ferimento pode apresentar algum tipo de coceira. Em queimaduras, porém, dependendo do grau em que a pele foi afetada, essa fase pode ser acompanhada de contratura muscular;

- Granulação: nessa fase os novos tecidos começam a surgir para preencher a área danificada;

- Reepitelização: na última fase as células epiteliais começam a surgir por baixo da crosta e vão fazer com que ela saia, para que o tecido termine de se recuperar.

É possível acelerar o processo de cicatrização?

O processo de recuperação completa dos tecidos pode levar de 12 a 35 dias, a depender do tipo de ferimento. Os cuidados básicos para que a cicatrização ocorra de maneira uniforme é manter a área afetada sempre limpa, sem curativos que possam abafá-la e bem hidratada. O uso de cremes e pomadas pode ser recomendado por um médico dermatologista ou outros profissionais (como tatuadores, por exemplo).

É importante que o local machucado não seja exposto ao sol ou cloro de piscina, que exercícios físicos intensos sejam evitados também e, principalmente, que a área não seja coçada para que a ferida não se rompa novamente. Caso a sensação de coceira seja muito intensa, corticoides de baixa potência ou anti-histamínicos podem ser receitados.

A alimentação também pode ajudar a pele a se recuperar com menos ou mais agilidade. O consumo de alimentos ricos em gorduras trans e sódio atrapalha bastante o processo porque promovem o inchaço. As carnes magras podem ajudar a aumentar a produção de colágeno. Frutas ricas em antioxidantes também fazem parte do processo e ajudam bastante na produção de colágeno.

Voltar para Home Ver todos